Notícias do site TeatroBrasileiro.com.br


São Paulo, SP - Parte 1 - Março/ Abril - PROGRAMAÇÃO PROJETO MUTIRÃO 8-TEATRO PLÍNIO MARCOS



PROJETO MUTIRÃO 8 - TEATRO PLÍNIO MARCOS

DE 04 DE MARÇO A 25 DE ABRIL DE 2004

IDEALIZAÇÃO:

ALEXANDRE BORGES / JULIA LEMMERTZ / TANAH CORRÊA / ORLEYD FAYA

PRODUÇÃO GERAL - ORLEYD FAYA

PARA ADULTOS

FORA DE ÓRBITA

PANACÉIA CIA TEATRAL (www.panaceiateatral.hpg.com.br)

GÊNERO: COMÉDIA

QUINTAS-FEIRAS ÀS 21 HORAS

DIAS: 04, 11, 18 E 25 DE MARÇO / 01, 08, 15 E 22 DE ABRIL

DURAÇÃO DO ESPETÁCULO: 75 MINUTOS / RECOMENDADO A PARTIR DE 14 ANOS

SOBRE O ESPETÁCULO:

A peça conta a história de uma família de alienígenas, os Pardon, que se dedicam ao estudo da raça humana sem nunca, entretanto, ter entrado na atmosfera terrestre. O espetáculo tem início quando eles promovem uma conferência para divulgar suas mais recentes descobertas sobre os humanos, passando a mostrar esquetes de situações puramente humanas. Porém Rose Pardon, a jovem alienígena, provoca um acidente que faz com que eles entrem na atmosfera terrestre perdendo o controle da situação, criando assim uma série de encontros inesperados.

FICHA TÉCNICA:

Texto: Panacéia Cia. Teatral

Direção: Marcos Okura Elenco: Eduardo Santana, Kátia Pereira, Liliane Arruda e Luciana Silvanini

Iluminação: Marcel Zappater

Sonoplastia: Lúcia de Lima

------------------------------------

VIZINHA DO LADO

CIA DAS FAJUTAS MULHERES

GÊNERO: TRAGICOMÉDIA

SEXTAS-FEIRAS ÀS 21 HORAS

DIAS: 05, 12, 19 E 26 DE MARÇO /02, 09, 16 E 23 DE ABRIL

DURAÇÃO DO ESPETÁCULO: 80 MINUTOS / RECOMENDADO A PARTIR DE 16 ANOS

SOBRE O ESPETÁCULO:

Focado na relação de duas mulheres, o espetáculo se desenvolve através de seus dramas e descobertas, de suas alegrias e frustrações. E através desse mundo tão próximo, o humor surge como válvula de neuroses e como delator de fugas. Como é dividir uma mesma parede, e de te ver projetado na casa do outro? Como é sentir um pouco da sua vida sendo emprestada? Valquiria e Susy dividem pinças e homens. Utilizam um espelho distorcido de si mesmas. E a descoberta talvez seja tão comum, os dramas são os mesmos, o humor forte e ferido foi escolhido por livre opção. E a bobagem surge. Bem-vindos a um mundo de curvex, salto alto, novela, sexo e Fred Astaire.

Utilizando a troca de sexos, pois as personagens femininas são interpretadas por atores, e vice-versa, com uma linguagem que varia da apoteose hollywoodiana ao drama mais intimista e buscando um ar retrô, a Companhia das Fajutas Mulheres inicia sua pesquisa e sua trajetória com esta montagem.

FICHA TÉCNICA:

Elenco: André Martins, Giuliana Pellegrini, Luciana Cunha e Ricardo Almeida
Narração: Estela Lapponi e Rodolfo Dias Paes
Coreógrafa: Clara Haddad
Desenhos: Milena de Mello
Design Gráfico: Unittá Comunicação Estratégica
Fotos: Camila Leite
Produtor Associado: Leandro Manhaes
Produção Geral: Companhia das Fajutas Mulheres
Texto e Direção Geral: André Martins

------------------------------------

O COMEÇO DE TUDO

NYTZER PRODUTOS CULTURAIS

GÊNERO: ESPÍRITA

SÁBADOS ÀS 21 HORAS

DIAS: 06, 13, 20 E 27 DE MARÇO / 03, 10, 17 E 24 DE ABRIL

DURAÇÃO DO ESPETÁCULO: 80 MINUTOS / RECOMENDADO A PARTIR DE 16 ANOS

SOBRE O ESPETÁCULO:

No palco, o lado de lá é mostrado e vivido em conjunto com o lado de cá, a platéia.

A emoção aliada à compreensão e ao aprendizado do que os poetas nos legaram pelo médium Chico Xavier. Entre os poetas, muitos que em vida acreditavam que a morte era o fim de tudo, mas mortos compreenderam a verdade e em seus poemas trazem o testemunho do outro lado.

O primeiro livro denominado “Parnaso de Além Túmulo” de Chico Xavier, é transformado em espetáculo. Não é um livro comum, é um livro de poesias que mostra os maiores nomes da poesia brasileira e portuguesa: Olavo Bilac, João de Deus, Augusto dos Anjos, Casimiro de Abreu, Castro Alves, Antero de Quental, e muitos outros.

O espetáculo não é um recital de poesias, é um diálogo vivido por cinco atores e é acima de tudo emocional, propondo ao espectador a avaliação de sua atuação aqui na terra e a o motivo de sua escolha em ser espírita ou espiritualista. Não é didático, mas sim referencial, ressaltando a espiritualidade e nossa busca de entendimento do que acontece do lado de lá.

FICHA TÉCNICA:

Elenco: Ana Paula Bressan, Alexandre Freitas, Juliana Moraes, Janaína Mendes, Tito Guerra
Texto: Chico Xavier
Direção: Ricardo Macedo
Adaptação: Beneh Mendes
Figurinos: Bruna Moraes
Camareira: Ieda Santos
Contra-regra: Kadu
Iluminação: Eric Lenate
Operador de Som: Kinho Oliveira
Operador de Luz: Eric cLenate
Trilha Sonora: Kinho Oliveira
Assistente de produção: Victor Hugo Oliveira
Produção / Administração Geral: Susana Beatriz e Kinho Oliveira
Realização: Nytzer Projetos Culturais

------------------------------------

PAPO CALCINHA

TRUPE DA LUA (www.trupedalua.com.br)

GÊNERO: COMÉDIA

DOMINGOS ÀS 20 HORAS

DIAS: 07, 14, 21 E 28 DE MARÇO / 04, 11, 18 E 25 DE ABRIL

DURAÇÃO DO ESPETÁCULO: 50 MINUTOS / RECOMENDADO A PARTIR DE 12 ANOS

SOBRE O ESPETÁCULO:

Peça que aborda com humor as dúvidas sobre prevenção de Dsts e sobre a sexualidade a partir da adolescência.

Camila, Catia, Carol, Carla e Carina conversam e discutem sobre virgindade, diferenças entre homens e mulheres, masturbação, orgasmo, menstruação, ejaculação, gravidez, aborto, homossexualidade, métodos contraceptivos, AIDS e preconceito.Cinco garotas, cinco realidades... mas, uma única preocupação: Será que estamos nos protegendo?

FICHA TÉCNICA:

Direção: Gabriel Miziara
Texto: Alessandra Cifali
Elenco: Alessandra Cifali, Aline Gabriel, Bebel Menndez, Carol Santana e Maria Rahal



Escrito por Editor do TeatroBrasileiro às 21h52
[ ] [ envie esta mensagem ]


São Paulo, SP - Parte 2 - Março/ Abril - PROGRAMAÇÃO PROJETO MUTIRÃO 8-TEATRO PLÍNIO MARCOS

PARA CRIANÇAS

DORA E SEU CACHORRO

SEÇÃO DEMAIS SUZUKI (www.demais-suzuki.com.br)

SÁBADOS ÀS 16 HORAS

DIAS: 13, 20 E 27 DE MARÇO E 03, 10, 17 E 24 DE ABRIL

DURAÇÃO DO ESPETÁCULO: 60 MINUTOS / RECOMENDADO A PARTIR DE 03 ANOS

SOBRE O ESPETÁCULO:

A menina Dora perdeu seu cachorrinho. Ela vai para rua procurá-lo, passando por grandes e divertidas aventuras, aprendendo e ensinando sobre cidadania e cuidados com o meio ambiente.

FICHA TÉCNICA:

Autor: Seção Demais Suzuki
Direção: Marcos Horta
Elenco: Renan Rovida, Sérgio Guizé, Silmara Garciah
Sonoplastia e Iluminação: João Mattos
Cenografia e Figurinos: Cristina Pereira
----------------------------------

AS AVENTURAS DO PALHAÇO TERERÊ NA CIDADE DE SÃO PAULO

CIA DE TEATRO SORRIR E APRENDER

DOMINGOS ÀS 16 HORAS

DIAS: 14, 21 E 28 DE MARÇO/04, 11, 18 E 25 DE ABRIL

DURAÇÃO DO ESPETÁCULO: 45 MINUTOS / RECOMENDADO A PARIR DE 02 ANOS

SOBRE O ESPETÁCULO:

A peça retrata a cidade de São Paulo em seus 450 anos e alguns fatores que determinam o dia-a-dia das crianças, resgatando valores como a solidariedade, confiança, entendimento familiar, preservação do meio ambiente, entre outros. A intenção é fazer com que as crianças possam amar, cuidar e se divertir em nossa cidade. A história se inicia quando um grupo de alunos resolve fazer uma festa para comemorar o aniversário de São Paulo. Uma das etapas da festa é distribuir alimentos para uma comunidade da periferia. Para acabar com a alegria das crianças, surge uma bruxa muito má, destruindo tudo que havia sido feito. Todos ficam tristes, mas um dos garotos, chamado Pedrinho, não aceita e pensa numa forma de resolver o problema. Então, numa certa noite, ele escuta uma voz dizendo para procurar ajuda com a fada Pirlimpimpim, na montanha dos sonhos. Ele sai em busca da fada e assim começa mais uma aventura.

FICHA TÉCNICA:

Elenco: André Ceccatto, Belliza Tavares, Erik Oliveira Morais, Kaio Chahad, Luís Fernando Furquim, Priscila Carboni, Vivian Azevedo
Direção: Luís Fernando Furquim
Assistentes de Direção: Emerson Natividade
------------------------------------

PROJETO MUTIRÃO 8 - TEATRO PLÍNIO MARCOS

RUA CLÉLIA, 33 – 2. PISO–SHOPPING POMPÉIA NOBRE - BAIRRO POMPÉIA - FONE 3864-3129

ESPETÁCULOS PARA ADULTOS: 12,00

6,00 (classe artística/professores/ estudantes/aposentados/pessoas com mais de 60 anos)

ESPETÁCULOS PARA CRIANÇAS: 10,00

5,00 (classe artística/estudantes/aposentados/professores/pessoas com mais de 60 anos)

LOTAÇÃO: 90 LUGARES / AR CONDICIONADO / ACESSO PARA DEFICIENTES FÍSICOS

ESTACIONAMENTO NO SHOPPING (2,00 por hora)

ASSESSORIA DE IMPRENSA - SONIA KESSAR

FONES: (11) 3864-3129 / 5589-5991/8143-2271 imprensa@espaco2deartes.com.br ou kessar@terra.com.br

Apoio: Secretaria de Estado da Cultura do Estado de São Paulo

ATENÇÃO: CIAS. DE TEATRO, MÚSICA E DANÇA: INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O PROJETO MUTIRÃO-9 (MAIO / JUNHO DE 2004). PARA PARTICIPAR, ENVIE UM E-MAIL COM RELEASE E FICHA TÉCNICA PARA: SONIA KESSAR - ASSESSORA DE IMPRENSA - ESPAÇO 2 DE ARTES - kessar@terra.com.br ou imprensa@espaco2deartes.com.br

Escrito por Editor do TeatroBrasileiro às 21h48
[ ] [ envie esta mensagem ]


São Paulo, SP - SESI informa a formação de Núcleo Teatral e Mostra de teatro infantil

NÚCLEO EXPERIMENTAL

De 1º de março a 19 de abril de 2004 jovens atores poderão se inscrever na quarta turma do Núcleo Experimental do Teatro Popular do SESI, sob coordenação da Professora da Escola de Arte Dramática da USP, Isabel Setti. São 15 vagas para a área de interpretação.

No primeiro ano de trabalho, os selecionados participam de palestras, seguidas por debates, workshops e aulas com alguns dos mais importantes profissionais do teatro brasileiro. A parte prática dessa fase consiste num trabalho de corpo, voz, pesquisa e desenvolvimento de diversas dinâmicas teatrais, com profissionais destas áreas. No segundo ano, os participantes do Núcleo poderão participar como atores profissionais de uma ou mais peças produzidas pelo SESI.

Os interessados devem acessar o site www.sesisp.org.br para mais informações. É necessário retirar a ficha de inscrição (disponível on line a partir de 1º de março).

III MOSTRA SESI DE TEATRO INFANTIL

O SESI-SP realiza entre os dias 30 de abril a 27 de junho a III Mostra de Teatro Infantil, evento que leva às cidades do interior de São Paulo espetáculos gratuitos e para tanto está com as inscrições abertas para os grupos teatrais interessados em integrar a grade de apresentações.

Companhias teatrais que queiram integrar a grade de programação têm até o dia 27 de fevereiro para encaminhar seu projeto. Para se inscrever basta acessar o site www.sesisp.org.br, onde os interessados terão acesso ao edital e a ficha de inscrição, esta última obrigatória para candidatar-se. Se for possível, o grupo também deve encaminhar uma fita VHS ou CD-Room de apresentações anteriores.

Escrito por Editor do TeatroBrasileiro às 21h17
[ ] [ envie esta mensagem ]


São Paulo,SP - Curta Temporada - ISTITUTO ITALIANO DI CULTURA SÃO PAULO TRAZ MODERNIDADE DO TEATRO ITALIANO AO PALCO DO TUSP

O Istituto Italiano di Cultura São Paulo (IICSP) traz em curta temporada o espetáculo “Joana d´Arc – Notas de Viagem” ao Teatro da USP (TUSP), no Centro Universitário Maria Antônia. Escrita, dirigida e estrelada pela atriz Ilaria Drago, a montagem fica em cartaz de 3 a 7 de março, a partir das 21h (quarta-feira a sábado) e às 20h (domingo).

Utilizando elementos multimídia, com música, imagens e luzes o espetáculo mostra a interpretação da autora sobre a heroína da História Universal. Segundo Ilaria, ela não pretende realizar um tratado ou apresentar como foram os fatos da trajetória de Joana d´Arc.

Nascida em Florença, Ilaria Drago é, aos 34 anos, uma das representantes do teatro italiano contemporâneo. Na peça, ela narra a vida da personagem em forma de diário emocional, com anotações sobre o que foi percebido ou sentido por Joana ao longo da sua vida. Para Ilaria, é o aspecto humano que conta, e não a narrativa cronológica dos fatos.

Narrado em italiano e acompanhado em cena pelo canto sutil de Danila Massimi, o espetáculo é conduzido por uma linguagem universal: a do som. A idéia é que a música seja um elemento fundamental, atuando diretamente à percepção da platéia, para superar a barreira do idioma.

Para a realização do espetáculo, a atriz inspirou-se em uma antiga tradição de um povo da Sibéria que, através de narrativas cantadas, costumava trazer os sonhos à dimensão real e cotidiana. O compositor Stefano Scatoza, criador da trilha original, interfere no texto encontrando seu modo de atravessá-lo, criando a música não como um simples pano de fundo, mas como forte expressão da própria história: a música que fala e o texto que toca.

“JOANA D´ARC – NOTAS DE VIAGEM”

Temporada de 3 a 7 de março – Quarta a sábado, 21h – Domingo, 20h

Escrito e dirigido por Ilaria Drago

Com Ilaria Drago e Danila Massimi

Músicas originais de Stefano Scatoza

Iluminação: Max Mugnai – Figurinos: Vincenzo Caruso

Duração: 1h15

TUSP – Centro Universitário Maria Antônia

Capacidade: 140 lugares – Ingressos: R$ 20,00

Rua Maria Antônia, 294 – Tel. (11) 3259-8342 / 3255-5538 ramal 42

Estacionamentos conveniados:

Cidade Park (Rua Major Sertório, 678) / Still Park (Rua Maria Antonia, 239)

EDITOR – Edison Paes de Melo

http://www.editorweb.com.br

Com Alessandro Bonassoli e Sylvio Novelli. Tel. (11) 3824-4200

abonassoli@editorweb.com.br; snovelli@editorweb.com.br

Escrito por Editor do TeatroBrasileiro às 21h12
[ ] [ envie esta mensagem ]


Niterói, RJ - Em março, SELTON MELLO E NATÁLIA LAGE ABREM A TEMPORADA 2004 COM ZASTROZZI



Lutas de esgrima, misticismo, crimes em série, um vilão irresistível e muito humor. Todos os ingredientes de um melodrama estão em Zastrozzi, texto do premiado autor canadense George Walker, que abre a temporada 2004 do Teatro Municipal de Niterói, com três únicas apresentações, de 05 a 07 de março de 2004. Zastrozzi fez temporadas de sucesso no Rio, São Paulo, Recife, Belo Horizonte e Porto Alegre. No elenco, Selton Mello, Ângelo Paes Leme, Natália Lage, Michel Bercovitch, Álvaro Diniz e Gisele Câmara. A direção é de Selton Mello e Daniel Herz. Zastrozzi tem patrocínio de Brasil Telecom e Eletrobrás.

Walker, na verdade, faz uma paródia do estilo melodrama para contar a história de Zastrozzi, o mais terrível de todos os vilões. A peça retrata os momentos finais da perseguição que Zastrozzi impõe a Verezzi, um artista sonhador, para se vingar do assassinato de sua mãe. O autor propõe uma reflexão sobre a visão maniqueísta que faz parte de todo melodrama: a luta do bem contra o mal e do mal contra o bem.

George F. Walker nasceu em Ontário, no Canadá, em 1947 e trabalhava como taxista quando soube que o Factory Theatre Lab estava procurando novos autores. Foi para eles que vendeu a primeira peça, The Prince of Naples (O Príncipe de Nápoles). A companhia apresentou esse texto em 1972, e desde então, ele se tornou uma das estrelas do grupo. Depois de andar na corda bamba entre o empreendimento de artistas puristas e a comercialização, Walker se tornou um colecionador de prêmios. Ganhou duas vezes o Governor General's Awards, quatro Doras e sete Chamers Awards. Apesar de Walker ser inédito no Brasil, suas peças foram apresentadas pelos Estados Unidos afora, incluindo Los Angeles, Seattle, San Francisco e Chicago. São mais de 100 montagens na língua inglesa e em várias traduções para o alemão, francês ou turco que tornaram o nome desse controverso autor conhecido em todo o mundo.

Os diretores Selton Mello e Daniel Herz descobriram o texto de Walker há 10 anos e desde então, montar Zastrozzi se tornou uma obsessão na vida dos dois. "Quando montei O Zelador, que foi minha primeira produção, cheguei a pensar em Zastrozzi primeiro, mas por algum motivo acabou não acontecendo", conta Selton. Para conseguir realizar o projeto, Selton procurou o produtor Eduardo Barata com quem iniciou uma parceria muito bem sucedida. Foi então que, finalmente, Zastrozzi chegou aos palcos de todo o país.

Ângelo Paes Leme assumiu o personagem que seria de Daniel, e Selton resolveu que estava na hora de enfrentar o desafio de dirigir o espetáculo. Então convidou Daniel Herz, um dos mais conceituados diretores de teatro de sua geração, indicado para o Prêmio Shell pela direção de As Artimanhas de Scapino, para dividir com ele a direção do espetáculo. "O mais interessante disso é que você se abre para novas experiências e novos encontros. A decisão de trabalhar em grupo é uma opção pelo exercício da flexibilidade. O exercício da renúncia, da negociação, da generosidade. Você sabe que vai ter que ceder em algum momento, ficar mais na sombra, e em outras horas vai poder avançar. Eu acredito que isso é um exercício de vida fascinante. Você se abre para o novo", garante Herz,

Por suas cenas com arquitetura teatral sofisticada e diálogos matemáticos, o texto de Walker é um presente para os seis atores do elenco: Selton Mello, Ângelo Paes Leme, Natália Lage, Michel Bercovitch, Álvaro Diniz e Gisele Câmara. George Walker valoriza o jogo teatral de tal forma que a simplicidade passa a ser a peça mais importante da montagem, privilegiando o trabalho dos atores. Esse é também o grande segredo do diretor de arte Eduardo Filipe, responsável pelos cenários e programação visual. "No teatro, o centro das atenções tem que ser o ator. Por isso, em Zastrozzi, o cenário é pensado de uma maneira a aparecer menos que eles. Só para cumprir a necessidade cênica. Apenas num momento, usei slides e uma linguagem estética de história em quadrinhos num bombardeio de imagens durante um pesadelo de Zastrozzi", conta Eduardo. Um clima que é reforçado pelo jogo de sombra e luz criado pelo iluminador Aurélio de Simoni.

Tatiana Rodrigues criou um figurino que, apesar das referências de época, é moderno. "Fiz uma pesquisa em cima do que existe no momento no mercado de moda, e percebi que John Galeano faz muito bem essa transmutação da roupa de época para a atualidade. Resolvi seguir essa linha. Apesar de cada personagem ter uma particularidade", garante a figurinista. Mas Zastrozzi inova mesmo quando se fala em trilha sonora. Pela primeira vez em uma peça, a música criada especialmente para Zastrozzi pelos Guevara Brothers (Marcelo Vindicatto e Plínio Profeta), está presente em todas as cenas. "O importante é que a trilha é original e dá a ambientação aos personagens. Ela fica o tempo todo rolando. Essa era uma proposta que nós tínhamos há um tempo e só agora, finalmente, conseguimos botar em prática", revela Vindicatto.

"Zastrozzi é sempre uma obra de genuína imaginação. O senso de ironia cortante de Walker leva as questões morais às últimas conseqüências, e somos deixados com um feixe de imagens que abre um buraco no cérebro. Às vezes parece afrontoso. Você pode rir. Mais cedo ou mais tarde, porém, você vai ter que parar de rir. E o perigo não vai ter passado. Aí, talvez, você descubra que está querendo parar e pensar. É difícil conseguir algo além disso no teatro”. (William Lane, Introdução a Zastrozzi, Toronto, 1979)

Texto fornecido pela produção

Contato para entrevistas: Ana Cury > (21) 2274-8223 / 9368-6747

Zastrozzi

Texto: George Walker

Concepção e Direção: Selton Mello e Daniel Herz

Elenco: Selton Mello, Natália Lage, Ângelo Paes Leme, Michel Bercovitch, Álvaro Diniz e Gisele Câmara

Direção de Arte e Cenografia: Eduardo Filipe

Iluminação: Aurélio de Simoni

Figurino: Tatiana Rodrigues

Trilha Sonora: Marcelo Vindicatto e Plínio Profeta

Produção: Selton Mello e Eduardo Barata

Temporada: 05 a 07 de março de 2004 (sexta a domingo)

Horário: sexta e sábado, às 21 horas; domingo, às 19 horas

Duração: 80 minutos

Classificação etária: 14 anos

Ingresso: R$25,00

Ingressos em domicílio: 0300-7893350 ou www.ticketronics.com.br

Teatro Municipal de Niterói
Rua XV de Novembro, 35, Centro, tel.: (21) 2620-1624 / www.tmnit.com.br

Escrito por Editor do TeatroBrasileiro às 20h55
[ ] [ envie esta mensagem ]


Niterói, RJ - Inicia em março a temporada de " SOPA DE LETRINHAS" COM ATORES DE "TERRA DOS MENINOS PELADOS"



Escrito por Editor do TeatroBrasileiro às 20h46
[ ] [ envie esta mensagem ]


Niterói, RJ - Parte 1 - Inicia em março a temporada de " SOPA DE LETRINHAS" COM ATORES DE "TERRA DOS MENINOS PELADOS"

A esperada nova montagem do espetáculo infantil Sopa de Letrinhas estréia sábado (06 de março de 2004), às 17 horas, no Teatro Abel, em Niterói. Inspirado no fio condutor do filme A História Sem Fim, Sopa de Letrinhas tem como proposta incentivar a leitura entre a garotada. Para isso, conta com texto ágil, vários ambientes cenográficos, seis músicas especialmente compostas para a montagem, coreografias próprias e figurinos pra lá de criativos. Texto e direção de Cláudio Ramos.

Herval Silveira e Fernanda Carvalho, respectivamente, Raimundo e Princesa Caralâmpia, protagonistas da série televisiva Terra dos Meninos Pelados, lideram o elenco de Sopa de Letrinhas, que conta ainda com Cláudio Ramos, Cristiane Várzea, Élcio Conti, Simone Costa, Vinícius Rodrigues e Vitor Rodrigues.

Recheado de cuidados e qualidades, “Sopa de Letrinhas tem como objetivo incentivar a leitura, mas não tem nada de didático nem de chato" (Revista Veja Rio, 18/08/91). “O tema é didático, mas o espetáculo é puro teatro, recheado de entretenimento, suspense, humor e aventura. O incentivo à leitura fica embutido na ação dos personagens, no desenrolar da trama”, garante Cláudio Ramos, informando ainda que para a peça foi concebida sonoplastia especial que ajuda a criar o clima das cenas, além de músicas de fácil assimilação que funcionam como complemento ao texto.

Sempre preocupado com os temas educacionais, Cláudio Ramos foi buscar no dia-a-dia das crianças a proposta central de Sopa de Letrinhas: incentivo à leitura. Onde foi apresentado, o espetáculo atingiu seu objetivo com a ajuda de pais e professores, dentro e fora da sala de aula.

- Na realidade, a primeira montagem de Sopa de Letrinhas estreou em junho de 1990 no Teatro da UFF, em Niterói, com todas as sessões com lotação esgotada. Depois, fizemos seis meses de temporada no Teatro Vannucci, no Rio, e várias apresentações em cidades do interior do Estado e de Minas Gerais. Perdi as contas de quantas vezes encenamos o espetáculo nos três primeiros anos de temporada. De 93 a 95 fiz outras peças, mas em 96 remontei Sopa de Letrinhas especialmente para o projeto A Escola Vai ao Teatro. Fizemos longa temporada em Juiz de Fora e em Divinópolis (MG), além de novas e inúmeras apresentações no interior fluminense e mineiro - conta Cláudio Ramos.

- Ano passado, quando apresentei Criança Tem Cada Uma! no Teatro Municipal de Niterói (recorde de público da temporada infantil), vários pais e professores pediram que remontasse Sopa de Letrinhas. As outras montagens de Sopa de Letrinhas foram apresentadas em projetos de alfabetização em variadas escolas. Educadores são unânimes: a criança que está aprendendo a ler, vê no espetáculo um estímulo prazeroso para a descoberta da importância da leitura - garante Cláudio Ramos.

Com músicas especialmente compostas para o espetáculo, cenários práticos, direção ágil e texto dinâmico, os sete personagens de Sopa de Letrinhas divertem e educam de forma simples e direta. O espetáculo foi indicado por diversos educadores que viam em seu conteúdo complemento ao dia-a-dia na sala de aula, uma vez que a leitura é a base do conhecimento.

- Como disse o educador Charles Perrault, tudo que sensibiliza educa. Sendo assim, o teatro é uma das melhores formas de educar, já que sua mola propulsora é a sensibilidade. Partindo deste raciocínio, concebi um espetáculo com linguagem simples, direta e que aborda um tema que contribui para a formação das crianças. Nada mais nobre do que incentivar a leitura, que é a base de tudo. Tomando como fonte de inspiração o fio condutor do filme A História Sem Fim, escrevi as aventuras de um livro que está alérgico, gripado, de tanta poeira por ter sido abandonado na estante por um menino que não gosta de ler - justifica.



Escrito por Editor do TeatroBrasileiro às 20h33
[ ] [ envie esta mensagem ]


Niterói, RJ - Parte 2 - SOPA DE LETRINHAS COM ATORES DE TERRA DOS MENINOS PELADOS

SINOPSE

Sopa de Letrinhas, de forma ágil, interativa e inteligente, conta a história de um livro, que após ter sido indicado para leitura em sala de aula, é abandonado na estante. Alérgico de tanta poeira, ele adquire forma humana e faz acontecer no dia-a-dia de seu dono – um menino preguiçoso -, a mesma história contida em suas páginas. Para isso, conta com a ajuda do cachorro Furreca, da menina e da empregada. Diante de acontecimentos inusitados, o menino se vê às voltas com uma série de obstáculos, que desencadeiam na descoberta de estar vivenciando situações semelhantes à história contida no livro que sua professora mandou ler. A partir desta descoberta o menino percebe que a única forma de sair das enrascadas em que entrou, é derrotar a preguiça e ler o livro.

ELENCO

Herval Silveira fez cursos de teatro, de modelo, de expressão corporal e de interpretação para TV. Atuou em peça de teatro (Sr. Murphy), curta-metragem (WM, conto de Lygia Fagundes Telles) filmes publicitários (Leader Magazine, Rock in Rio Café, Telemar, Net e Oi), novelas (Suave Veneno, Malhação e Mulheres Apaixonadas), minissérie (Os Maias) e programas de TV (Xuxa Park, Gente Inocente, Turma do Didi, Sítio do Pica-Pau Amarelo e Terra dos Meninos Pelados). Em Sopa de Letrinhas, Herval interpreta o Menino.

Fernanda Carvalho estudou com Eduard Roessler, Julio Braga, Lúcia Nogueira e Silvia Pareja. Fez peças de teatro (As Crianças de Yamara, Sítio do Pica-Pau Amarelo e Criança Tem Cada Uma!), filmes publicitários (Vídeo Escola, Amigos da Escola e Telemar), novelas (Malhação, Torre de Babel, Caça Talentos e Pecado Capital), minissérie (Hilda Furacão) e programas de TV (Gente Inocente, Domingão do Faustão e Terra dos Meninos Pelados). Em Sopa de Letrinhas, Fernanda interpreta a Menina.

Cláudio Ramos fez o principal papel masculino da tragédia Medéa em Belo Horizonte. No Rio, atuou nas comédias O Genro Que Era Nora, A Venerável Madame Goneau e Afrouxem os Cintos Que a Cortina Abriu. Nos últimos cinco anos vem coordenando a Campanha de Popularização do Teatro em Divinópolis (MG) e atuando nas montagens de Fulaninha e Dona Coisa, O Dia em Que Alfredo Virou a Mão e Velório à Brasileira. Há seis anos encena a comédia Lugar de Mulher... Uma Sátira ao Machismo. Em Sopa de Letrinhas, Cláudio interpreta o cachorro Furreca.

Cristiane Várzea fez dois anos de Tablado e se formou na CAL. Participou de vários espetáculos adultos e infantis como Criança Tem Cada Uma!, além de fazer backing-vocal para a cantora Adriana Passos. Em Sopa de Letrinhas, Cristiane interpreta Professora, Empregada e Preguiça.

Élcio Conti iniciou sua carreira como cantor. Em 1986 fez O Atheneu, com direção de Carlos Wilson. Integrou o extinto grupo de dança contemporânea Móbilis. Atuou nos espetáculos Quem Matou o Leão?, Os Três Mosqueteiros, Cataplum e Criança Tem Cada Uma!. Em Sopa de Letrinhas, Élcio interpreta o Livro.

Simone Costa tem formação em jazz e ballet clássico com René Simon. Há 15 anos dá aulas de dança para crianças. Formada em Pedagogia e pós-graduada em Psicopedagogia, é professora do Colégio São Vicente e coordenadora do Lobinho (Colégio Lobo Torres). Atuou nas peças Aventura do Tesouro Fantasma, Francisco e Seus Companheiros, Não Traiu, Não Coçou, Então Quem Começou? E Criança Tem Cada Uma! Em Sopa de Letrinhas, Simone interpreta Professora, Empregada e Preguiça.

Vinícius Rodrigues atuou nas peças Capitães de Areia, Sítio do Pica-Pau Amarelo e Criança Tem Cada Uma!; dublou o filme Duro de Matar III e os desenhos Faísca e Fumaça e Os Simpsons; em TV fez Malhação (1997 e 2001), Linha Direta (caso Dario Flores, 2001), e apresentou o programa Conta Com a Gente (MultiRio). É vocalista da banda gospel Atitude C. Em Sopa de Letrinhas, Vinícius interpreta o cachorro Furreca.

Victor Rodrigues atuou nos espetáculos Peter Pan e Cabral no Reino das Maravilhas, Em Preto e Branco, Vivendo as Cinzas da Vida, Sítio do Pica-Pau Amarelo, Crianças de Yamara e Criança Tem Cada Uma!. Fez filmes publicitários para o Colégio Plínio Leite (1999) e para o Gol Power (2003). Em Sopa de Letrinhas, Victor interpreta o Livro.

Contato para entrevistas: Cláudio Ramos > (21) 3603-1787 / 9383-8272

Sopa de Letrinhas

Texto e direção: Cláudio Ramos

Elenco: Herval Silveira, Fernanda Carvalho, Cláudio Ramos, Cristiane Várzea, Élcio Conti, Simone Costa, Vinícius Rodrigues e Victor Rodrigues

Cenários e figurinos: José Carlos Assumpção

Confecção de adereços: Jorge Abreu

Iluminação: Wivison Palito

Músicas: Antônio Celso e Denise Mastrângelo

Contra-regras: Alexandre Seigarro, Eduardo Maciel e Leonardo Corrêa

Temporada: 06 a 28 de março de 2004 (sábado e domingo)

Horário: 17 horas

Duração: 70 minutos

Classificação etária: livre

Ingresso: R$12,00

Teatro Abel

Rua Mário Alves, 2, Icaraí, (21) 2621-9500

Assessoria de Imprensa: José Carlos Assumpção

(21) 2621-8534 / 9847-2653 / www.jcassumpcao.rg3.net

Escrito por Editor do TeatroBrasileiro às 20h27
[ ] [ envie esta mensagem ]


Belo Horizonte, MG - PROGRAMAÇÃO DO TEATRO ALTEROSA EM MARÇO DE 2004

04 A 07 - QUINTA A DOMINGO
COMO SOBREVIVER EM FESTAS E RECEPÇÕES COM BUFFET ESCASSO"
Com o comediante mineiro Carlos Nunes

Texto: Inspirado no sucesso editorial "Manual de Sobrevivência em Recepções e Coquetéis com Buffet Escasso" do mineiro Ângelo Machado, foi adaptado pelo próprio autor

Direção: Ênio Reis
04 a 07 de março
Quinta e sábado às 21h. Domingo às 19h.
Duração: 1h e 40'

Ingressos disponíveis para venda:
Nos postos da Belotur:
- Meia-entrada para estudantes e desconto para várias categorias: R$8,00
- Preço efetivo: R$16,00
Na Bilheteria do Teatro: Funciona de terça à domingo, das 12:00 às 19:30
- Meia-entrada para estudantes e desconto para várias categorias: R$12,00
- Preço efetivo: R$24,00

Entrevistas:
Carlos Nunes - 3335-3009 / 9951-6183
Ênio Reis - 3292-6785

Dicas bem humoradas para ser bem servido em festas

O espetáculo "Como Sobreviver em Festas e Recepções com Buffet Escasso", com o humorista Carlos Nunes, está de volta ao Teatro Alterosa com o propósito de repetir o sucesso das temporadas anteriores. Foi uma das comédias mais assistidas na nessa última Campanha de Popularização do Teatro, o que demonstra o forte apelo que o espetáculo possui perante o público. Embora o buffet seja escasso, há 4 anos o público se farta com a deliciosa performance do ator Carlos Nunes. Durante aproximadamente uma hora e quarenta minutos, o protagonista conta vários fatos e experiências de um "penetra" uma festa, onde nem sempre a comida e a bebida eram suficientes para todos os convidados. E ainda ensina alguns truques para que a platéia não passe pelas mesmas situações.

 

19 A 21 - SEXTA A DOMINGO
"O ACIDENTE", com Louise Cardoso e Marcelo Escorel
Texto: Bosco Brasil
Direção: Cibele Forjaz
Duração: 90 minutos

Um encontro despretensioso num apartamento vai desencadear muitas descobertas

Sozinhos num pequeno apartamento, os colegas de trabalho Míriam e Mário encontram-se repentinamente sós em um local onde deverá haver uma festa. O vazio inesperado obriga-os a se conhecerem de verdade. O processo é difícil, mas romântico e eles revelam suas respectivas angústias e descobrem afinidades.

O espetáculo cumpriu temporada no Teatro Aliança em São Paulo e o autor Bosco Brasil que se consagrou dentre outras obras, "Novas Diretrizes em Tempos de Paz, escreveu "O Acidente" em 1996 e acompanhou vários ensaios dos atores desta montagem.


Aparecida Queiroga
Divulgação e Produção
Teatro Alterosa
(31) 3237-6610



Escrito por Editor do site Teatro Brasilei às 16h23
[ ] [ envie esta mensagem ]


S"ao Paulo, SP - O PROJETO MUTIRÃO – TEATRO PLÍNIO MARCOS ESTÁ RECEBENDO INSCRIÇÕES PARA ESPETÁCULOS DE TEATRO, MÚSICA E DANÇA.

(ALEXANDRE BORGES/JULIA LEMMERTZ/TANAH CORRÊA/ORLEYD FAYA)

 PROJETO MUTIRÃO 8 – TEATRO PLÍNIO MARCOS ABRE INSCRIÇÕES

O PROJETO MUTIRÃO – TEATRO PLÍNIO MARCOS ESTÁ RECEBENDO INSCRIÇÕES PARA ESPETÁCULOS DE TEATRO, MÚSICA E DANÇA.

A OITAVA EDIÇÃO DO PROJETO ACONTECERÁ DE 04 DE MARÇO  A 30 DE ABRIL DE 2004.

AS COMPANHIAS INTERESSADAS DEVERÃO ENVIAR RELEASE E FICHA TÉCNICA ATÉ O DIA 15 DE FEVEREIRO (DOMINGO), PARA: imprensa@espaco2deartes.com.br ou kessar@terra.com.br. COLOCAR NO ASSUNTO: "PROJETO MUTIRÃO 8".

CONTATOS POR TELEFONE:

(0XX) 11 3673-0159 ou 3679-9301 (falar com Orleyd Faya)

(0XX) 11 8143-2271 (falar com Sonia Kessar)

(0XX) 11 3864-3129 (Teatro Plínio Marcos após as 16h00)

 

INFORMAÇÕES SOBRE O PROJETO MUTIRÃO
O Teatro Plínio Marcos é um teatro privado, situado dentro do Shopping Pompéia Nobre, no bairro da Pompéia, Zona Oeste de São Paulo.

Inaugurado em março do ano 2000, por iniciativa de Tanah Corrêa; Alexandre Borges; Julia Lemmertz, e Orleyd Faya, o teatro compõe, junto com o Cine Arte Lilian Lemmertz, e a Sala Linneu Dias, o Espaço 2 de Artes.

 

QUANTO AO SURGIMENTO DO MUTIRÃO
O projeto nasceu da necessidade que sentimos de possibilitar o uso do Teatro Plínio Marcos a companhias que nos procuravam, e que não podiam arcar sozinhas com os custos da sala. Veio-nos então a idéia de unir forças, dividindo entre essas companhias a pauta e o aluguel do Teatro: estava criado o Mutirão.

Desde o seu lançamento, em Novembro de 2002, já passaram pelos palcos do Teatro Plínio Marcos 56 companhias de Teatro; Música; e Dança, que, ao longo das 7 edições realizadas, foram aplaudidas por mais de 15 mil espectadores.

 

 O QUE O MUTIRÃO OFERECE
·        Sala com 90 lugares, localizada no interior do Shopping Pompéia Nobre, que conta com estacionamento;

·          Ar condicionado;

·          Equipamento de som;

·          Equipamento de luz (32 refletores de 500 W; e mesa de 16 canais);

·          Palco de 9m de boca X 6m de profundidade;

·          Cortina;

·          Camarim coletivo amplo, com banheiros separados para homens e mulheres;

·          Depósito para cenários e figurinos;

·          Serviço de limpeza e manutenção;

·          Assessoria de Imprensa para o Projeto (Sonia Kessar).

           IMPORTANTE:

           Cada companhia deverá trazer seus montadores e operadores de som/luz, e cenografia; além  de seu bilheteiro.

 

O AGENDAMENTO
As edições do Mutirão são bimestrais e cada grupo ocupa um dia fixo da semana, durante os dois meses de sua participação no projeto.

Para se inscrever, é preciso enviar, por e-mail, um projeto e o currículo do grupo; além de uma solicitação de participação, contendo: nome e contato do responsável pelo grupo junto ao projeto (RG; CPF; endereço e telefone); número da edição e dia da semana que pretende reservar; nome do espetáculo; autor; e direção.

É importante compreender que essa solicitação não significa, para nenhuma das partes, uma confirmação imediata da participação. Aproximadamente um mês antes do início da temporada, a companhia será procurada pela organização do Mutirão, para confirmar seu interesse, e comparecer a uma reunião com todos os “mutirenses” do período, para assinatura de contrato e esclarecimento dos detalhes do funcionamento.

 

OS CUSTOS
Por toda a estrutura oferecida, a companhia deve pagar R$ 125,00 (cento e vinte e cinco reais) por espetáculo. O custo para cada grupo é, portanto, em média, de R$ 500,00 (quinhentos reais) mensais (04 espetáculos/mês).

Este valor é pago ao teatro em forma de cheque pré-datado, no valor correspondente ao número de espetáculos que o grupo vai realizar no mês; e que é entregue à organização do projeto no ato da assinatura do contrato, para ser descontado no quarto dia útil do mês seguinte à realização dos espetáculos.

O valor dos ingressos é discutido entre os participantes de cada edição.

 Orleyd Faya (COORDENADORA DO PROJETO MUTIRÃO)
Sonia Kessar (ASSESSORA DE IMPRENSA)



Escrito por Editor do site Teatro Brasilei às 16h19
[ ] [ envie esta mensagem ]


São Paulo, SP - Teatro Infantil - Espetáculo “Quando eu não consigo dormir” estréia dia 28 de fevereiro no Teatro Augusta

 

 

Adaptada do conto homônimo da escritora Mirma Gleich Pinsky, QUANDO EU NÃO CONSIGO DORMIR é uma peça infantil que coloca no palco todos os fantasmas, monstros e bicho-papão que aterrorizam as crianças, ou pelo menos, o imaginário delas.

A CIA. DOS CLOWNSTROFÓBICOS mostra que na escuridão da noite o quarto de Nina se transforma num lugar muito, muito perigoso e a menina tenta, mas não consegue dormir. Para a garotinha de 11 anos, outros medos também tiram sua tranqüilidade, como saber que ela é a mais nova de toda a sua família e que, pela ordem natural, todos os outros vão morrer primeiro e ela ficará sozinha. No elenco estão as atrizes Ana Paula Gonçalves e Eliana Bach, que também assina a direção da peça. QUANDO EU NÃO CONSIGO DORMIR é dirigido às crianças. No entanto, os adultos também vão se deliciar com a peça fazendo uma viagem no tempo, revisitando seus fantasmas adormecidos.



Serviço: Espetáculo: Quando eu não consigo dormir

Grupo: Cia. dos Clownstrofóbicos

Gênero: Espetáculo infanto-juvenil

Classificação: para crianças a partir de 3 anos Duração: 50 minutos

Estréia: 28 de fevereiro de 2004 Temporada: até 11 de abril de 2004 – sábados e domingos – 16 horas Ingressos: R$10,00 Teatro Augusta: Rua Augusta, 943 - Cerqueira César – SP - (11) 3151-4141 Informações para o público e Reserva para escolas: (11) 9363-5847 Em março, o espetáculo participa do Festival de Teatro de Curitiba.



Breve Currículo das Atrizes

 Ana Paula Gonçalves: Atriz e Cantora Formação: Atriz pelo Senac, com formação complementar em Interpretação, Dança Contemporânea, Técnica Vocal, Teoria Musical, Canto e Coral, Música para Teatro, Canto Popular e Vilão Trabalhos anteriores: Em Teatro: O tribunal dos divórcios; 1999 - Criação Coletiva; Peter Pan; Antígona; O Cavalinho; O Parturião; A ópera do Malandro; Paulo e Estevão. Em Cinema: Aurélia - figuração

Eliana Bach: Atriz, diretora teatral e arte-educadora. Formação: Atriz pela Fundação das Artes de São Caetano do Sul, possui formação extracurricular nas áreas de Expressão Vocal (canto, dicção e impostação vocal), Expressão Corporal (dança flamenca e capoeira). Trabalhos anteriores: · Em teatro: A casa de Bernarda Alba; The Teatragem; Cenas Brechtianas; History game; Brincando no escuro; Ilha dos Sonhos; Romão e Julinha; Brasil outros 500; A L.E.R Tá geral; Cordel: cantos e contos de prevenção; e Nosso Lar. Como contadora de histórias: Hospitais.





Ficha Técnica



Texto: Adaptação do conto de Mirma Gleich Pinsky

Direção: Eliana Bach


Realização: Cia. dos Clownstrofóbicos


Elenco: Ana Paula Gonçalves e Eliana Bach


Sonoplastia e operação de som: Gláucio Zangheri


Iluminação: Vinícius Feio


Cenografia: Mauro Martorelli


Assessoria de Imprensa: Mercedes Cumaru





Escrito por Editor do site Teatro Brasilei às 16h15
[ ] [ envie esta mensagem ]


Minas Gerais - Teatro Sesiminas abre inscrições para cursos de teatro

O Centro de Cultura Nansen Araújo (Teatro Sesiminas) está com inscrições abertas para os cursos de "Iniciação Teatral", "Intermediário" e "Montagens de Espetáculos". Os cursos serão ministrados em parceria com o Centro de Pesquisas Teatrais (comandado pelo teatrólogo Ronaldo Boschi), e é destinado a qualquer pessoa que tenha interesse nesta ocupação.

Os alunos inscritos poderão participar, em junho próximo, do XVII Festival de Teatro, do projeto "Teatro Popular Permanente", idealizado e coordenado por aqueles parceiros. A garantia da qualidade dos cursos oferecidos pode ser atestada pelo bom desempenho da parceria Sesiminas-Ronaldo Boschi, criada em 1995. Desde então, a dupla vem colhendo resultados significativos, com a formação de bons profissionais, presença assegurada em diversos festivais de teatro e, o mais importante, sucesso garantido junto ao público em geral.

As inscrições estarão abertas até o dia 5 de março, sem despesas de figurinos e cenários para os participantes. Maiores informações pelos fones (31) 3241-7177/7175 e 3353-1168.

Escrito por Editor do site Teatro Brasilei às 18h16
[ ] [ envie esta mensagem ]

 
Histórico
22/02/2004 a 28/02/2004
15/02/2004 a 21/02/2004




Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 Acompanhe a História de uma Cia de Teatro com fins Sociais